A Justa Reação

Saudações, aventureiros desbravadores de tocas, mais uma quinzena voou, o
verão me chama e mais um devaneio de uma mente pouco lúcida segue à tona. Espero
que as férias estejam produtivas, que os dados estejam rolando de maneira favorável,
que suas aventuras estejam acontecendo e que vocês possam infringir leis livremente.Eu não tenho jogado RPG nos últimos meses, tenho sido o falso pastor que prega o
evangelho que não lê, sou obrigado a viver em um mundo regido por regras estúpidas
como: não poder matar meus inimigos; não ganhar dinheiro invadindo fortalezas; muito
menos poder beber a qualquer hora que me dê vontade. Estou com saudades de passear
por esse universo que só tem uma lei.
Se analisarmos o aspecto moral das aventuras de RPG, principalmente das
tradicionais que têm o estilo medieval, veremos que uma das principais tarefas dessas
aventuras é poder infringir a lei. Ser um marginal e no mundo real é ser normal no da
fantasia, empregos assalariados nos RPG’s são coisas absurdas, chega ser ridículo
cogitá-los; as pessoas normalmente não são punidas por homicídios, basta dizer a boa e
velha desculpa, “foi em legítima defesa”, se você não tiver matado o líder da cidade é
quase certo você será inocentado; tomar o que é do nosso interesse sem o consentimento
do dono nem sempre é considerado roubo, sempre da para se justificar dizendo que
tomou por um bem maior, você queira mais que o outro, que o cara era mau, entre
outras desculpas esfarrapadas; enfim, as leis pouco importam para aventureiros, apenas
uma deve ser obedecida, o mestre deve ser o juiz e o executor, os jogadores devem
sofrer ou agradecer por ela, que pode ser resumida em “toda ação tem uma reação”,
negar isso em uma aventura de RPG é fadar uma aventura a falta de verossimilhança.
As campanhas giram em torno das transgressões das leis tradicionais, podemos
criar assassinos e ladrões facilmente, ele até são personagens básicos nos manuais de
apoio, mas mesmo esses criminosos têm que obedecer à prescrição do ilustre físico.
Creio que a primeira coisa que uma pessoa deve aprender quando começa a jogar é a
seguinte: Você pode até pode esfaquear livremente aquele padre, mas pode ter certeza
que as beatas vão se vingar arrancando suas tripas. Quando digo que transgredir as leis
tradicionais no RPG é o padrão, isso não significa que isso vai acarretar nada. Por
exemplo, se você mata um grupo de assaltantes que te emboscaram, pode acontecer dos
amigos deles quererem te matar; você pode até roubar a joalheria, mas o dono dela vai
mandar um mercenário te matar; você pode até dormir com a mulher de um feiticeiro
épico, mas não reclame se você acordar numa dimensão paralela onde você sofrerá por
toda a eternidade. É importante que todas as ações dos personagens tenham
consequências, boas ou ruins, se isso não acontecer a história passa a perder o sentido
gradativamente.
Da mesma maneira que um PC deve sofrer as consequências de tentar roubar o
dono da loja de armas (saibam que isso é impossível, por motivos que narrador nenhum
sabe explicar, mas que são tão antigos que virou norma), ele também deve colher os
louros por ajudar uma cidade a se livrar de um bárbaro enlouquecido, ou mesmo por dar
um trocado a um mendigo. A definição superficial de Karma deve ser aplicada nas
aventuras de RPG, boas ações devem atrair coisas boas e o seu oposto e inverso também
deve acontecer.
Aventureiros que roubam, matam e pilham, em algum momento devem ser
assaltados e assassinados por seu inimigos, é a lei da vida, se você gera ódio, esse ódio
se volta contra você, mas, A contrario sensu, os aventureiros que salvam princesas e
ajudam camponeses devem encontrar aliados e ajudas inesperadas, pois semear o bem
dá bons frutos. Claro que não existe troca equivalente, essa é a moral da história de Full
Metal, muitas vezes acontecem coisas contrárias ao padrão, como por exemplo ajudar
um mendigo pode ser alimentar um vilão que estava na miséria, ou roubar uma mansão,
pode vir a se tornar desbaratar uma agência de crimes. O importante é que todas as
ações sofram reações, sejam elas boas ou ruins, tirar isso de uma aventura de RPG é
torna-la insipida e incoerente.

Anúncios

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s