Papo Reto – Grid, porque sim e porque não

Imaginar ou visualizar? O que tem de interessante entre usar grid com miniaturas ou deixar tudo a cargo de sua cabeça e imaginar todas as situações de sua mesa? Cola no Papo Reto de hoje porque iremos falar justamente sobre isso!

Grid. Um verdadeiro divisor de águas no RPG. Há quem goste de usar, há quem prefira deixar de lado e também há aqueles que so adquirem para dizer que tem.

O grid é uma ferramenta usada nas mesas para ajudar na visualização de cenas. Comumente usado nos combates ou para representar masmorras e outros espaços físicos pertinentes a sessão. Extremamente útil, os grids podem variar desde pedaços de papel com rabiscos das estruturas ou a simples folhas quadriculada, ou até mesmo serem maquetes bem construidas com o grid ‘impresso’ em seu espaço. A forma como ele é representado visualmente, seja com paredes de miniaturas de plásticos ou somente os rabiscos no papel, algo pertinente em todos é a presença de quadrados ou hexágonos que medem distância e posicionam os elementos no espaço.

Uma mesa de Old Dragon RPG do narrador Leo Mota, que ocorre na foderosa Taverna do Dragão em Maracanaú – CE

O ponto do uso de grid é o seguinte: O apoio visual, da disposição dos personagens e de suas áreas de ações é fenomenal. Ter a direção clara de onde X e Y estão e como a magia A ou B irá afetar ao seu redor é magnífico. Eu mesmo gosto e apoio o uso de grid nas mesas de RPG. PORÉEEEEEEEEM. Grid não é a solução de tudo. Facilita o jogo? Muito. Mas ele causa um efeito negativo ao meu ver. O grid tira do RPG um fator importantíssimo para a diversão, a capacidade de imaginar. Se o jogador tem o apoio visual do grid, ele irá jogar taticamente e de maneira otimizada, além disso, ele não terá a necessidade de imaginar o ambiente que o rodeia e nem os pensamentos de ações mirabolantes e épicas. Ora, enquanto eu vejo a miniatura parada, a minha frente, capaz de se mover sem nenhuma inspiração, quebrando totalmente aquela imagem mística de um monge correndo como se sequer tocasse o chão a velocidades inumanas.

A mente da gente é capaz de imaginar coisas absurdamente divertidas e maravilhosas durante os jogos, mas acrescentar os grids dificulta e muito a nossa habilidade de imaginar como as coisas ocorrem. Mas cuidado, não tomem minhas palavras por dizer que o grid não é divertido. Sim, ele também pode ser, principalmente quando nos deparamos com cenários estrondosos de bem construidos. Mas acreditem, quando digo, que nenhum grid ainda foi capaz de representar as maravilhas que ocorrem em nossas cabeças quando ouvimos uma narração divertida, fluida e imersiva.

Enquanto a vocês, concordam? Vocês usam grids nas mesas de vocês ou preferem ficar com o teatro de imaginação?

Anúncios

4 comentários

  1. Sinceramente concordo com suas palavras. O Grid é uma grande ferramenta visual pro jogo. Mas ao meu ver tira o um pouco o foco do jogador em fazer movimentos inesperados e fantásticos. Tipo muita vezes os PJ se focam em “flanquear” o inimigo fica sem graça de um ponto de vista. Eu em minhas mesas uso Grid em alguns tipos de sistemas. Mas a grande maioria das vezes prefiro não usar e deixar a imaginação e a improvisação dos jogadores fluírem. Isso é a mágica do RPG pra mim.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.