O uso do entretenimento para a educação

Vivemos na era da informação, mas a análise superficial do texto, combinado a falta de aprofundamento nos tópicos cotidianos e exposição cada vez maior a formas superficiais de entretenimento tem levado a população geral a uma cultura da desinformação.

O que eu almejo nesse texto é uma simples visão das oportunidades que às vezes não percebemos, mas que podem causar uma mudança significativa na forma como aprendemos. O uso do entretenimento para a educação.

O entretenimento na educação

A característica da popularidade enraizada com os potenciais educativos já se provou como solução pós-moderna para a educação de massa, cada vez mais professores passam por cursos de formação ou extensivos focados em perceber as diversas formas de utilizar filmes, quadrinhos, músicas e jogos, entre outros, na sala de aula. Casos de sucesso estrondoso são estudados, relatórios de uso analisados e as discussões sobre como tirar uma vantagem ainda maior só crescem.

Nós mesmo da Toca temos um interesse do uso do rpg de forma educativa e tentamos propor isso acompanhado de alguns outros grupos que tem como foco o estudo dos jogos analógicos e seu potencial educativo. É evidente que grande parte da comunidade articuladora do pensamento moderno se debruça sobre essas questões quando podemos ver a vasta gama de palestras do TED focadas em se propor a dar uma visão maior sobre o assunto.

Mas quais são os benefícios?

Sendo bem direto, alguns dos benefícios são:

  • Capturar o interesse do aluno
  • Mostrar que a educação pode ser divertida
  • Ensinar o aluno a perceber o ambiente de aprendizado a sua volta
  • Redespertar o interesse por descobrir
  • Formar o aluno como um estudante ativo
  • Aplicação através de métodos de aprendizado mais eficientes

Como usar?

O uso da aprendizagem através do entretenimento pode ser posta em prática pelo professor em sala de aula ou pelo próprio estudante em casa. Para professores a articulação é a mesma de sempre, análise da mídia e obra que deseja trazer para a sala de aula, planejamento e aplicação, mas como recomendação podemos citar fazer uma pesquisa sobre que tipos de conteúdo os alunos gostam e mediando o que é de interesse natural deles com o do professor, prezando pelo potencial educativo do mesmo.

Já para os alunos autônomos ou autodidatas, eu sugiro procurar separar o que é apenas entretenimento puro de mídias que realmente podem te trazer informações úteis para o assunto abordado. Não vale a pena fingir que aquela série que você gosta tem muito mais a dizer do que ela realmente aborda, eu creio que é possível tirar algum aprendizado de quase qualquer meio, mas você tem que estar preparado para buscar ativamente esse conhecimento focando no seu objeto de estudo. É incrível como a abordagem crítica de uma obra pode te falar sobre diversos temas propostos ou citados, cabe a você transformar ativamente em matéria de estudo.

Links:

TED

RPG: Educação e cidadania

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.